segunda-feira, 29 de outubro de 2007

SARDAS MURCHAS, por Karla Jacobina

Lilya Corneli

Uma dose de pílula e vodka do dia seguinte e a reconfirmação da teoria: "o dia depois da foda é foda".
Ela soltou os cabelos, tirou a roupa e jogou o celular na banheira. Respiraria agora, com suas expectativas afogadas.
Chamou sua atenção para o espelho e do espelho para suas sardas. Contar as sardas dos seios lhe acalmavam mais do que água com açúcar.
- Ora! Elas estão murchas! Cadê os meus seios? Pensou em voz alta e nervosa.
Procurou-os na bolsa de couro, na de valores e na meia taça. Não encontrou mais do que vultos de ontem ainda lambendo suas sardas.
Mais uma dose de vodka e decidiu quebrar as regras com sua cara de pau.
- Alô. Disse ele molhado.
Ela desligou. Acabara de achar seus seios na ponta de sua língua.

<><><>

Caros Leitores,
Sentem-se, se acomodem, à vontade
Quase como colo de mãe,
Um pouquinho só mais embaixo.
*
*
*

23 comentários:

Lais Mouriê disse...

Sempre fica algo... uma sarda , um seio latejante implorando o sabor da saliva... e abençoados os que tem a cara de pau de admitir, e pedir... esses vão além!

Maravilhoso, Ká... do jeito que eu gosto!!!!

SAMANTHA ABREU disse...

Lindo Karla.. lindo.
ardente e adoro isso.

Mas o pior, nesses casos, é quando o que deixamos com o outro só pode ficar com ele e não nos é devolvido, nunca mais.
Nos resta apenas (re)construir-se.

jupyhollanda disse...

Karlita,

Amei o texto. Saído direto de lá, do falópio...
Maravilhoso para pensar, sentir, refletir, flutuar...

Bjos

Ju

disse...

O texto me lembrou Salvador Dali. Pq será? :-P

KARLA JACOBINA disse...

Olá Jô!

Pq uma de minhas praias
é o surrealismo literário.

Beijos!

*

Alê Namastê disse...

Karla,
O blog certamente será iluminado. Já acompanho as escritas da Lais Mouriê e as suas. Certamente voltarei, para acompanhar o trabalho de todas.
Muita luz!
Beijos*

disse...

Foi exatamente o que pensei, Karla. O surrealismo é sempre bem vindo. Literariamente então...

MARIAESCREVINHADORA disse...

Surreal, erótico, real e ardente é o seu texto.
Adorei.

Conceição

F. Reoli disse...

Mais um nicho de vida inteligente e causador de sensações...
Beijos

Paulo Bono disse...

sim, seios com sardas, mulheres bonitas, sachêts, belos versos, etc etc etc, isso aqui é uma delícia.
parabéns a todas.

abraço

paulo dauria disse...

Adorei Karla,
A casa nova, dividida, reunida, feminina; o texto, subliminar, cara de pau, surreal.

Parabéns!
Grande Beijo
Paulo DAuria

Maria Muadié disse...

Karlinha, muito massa! Amei.

Ana disse...

Karla,
Fantásticos versos de fantasia e lirismo, e um pinguinho de realidade na água... Ou seria uma dose básica de vodka?
rs
Adorei.
Beijo
Ana.
www.mineirasuai.blogspot.com

Ana disse...

heheheh
Adorei. Muito criativo
Bjoka
Ana Márcia

http://e.eu.com.isso.zip.net

Iasminne disse...

Simplesmente LINDo!
Sucesso, meninas!

Gabriele Fidalgo disse...

Maravilhoso, Karla.

Você disse o que muitas mulheres gostariam de dizer, com uma objetividade ímpar!

poupéezinha disse...

Que delícia isto aqui...
vamos trocar mais figurinhas-
beijo!

*¢£@üD!NhA''' disse...

hmmmmmmmmmmm; convite irrecusável.

JANAINNA JACOBINNA disse...

SENTADA?! DEPOIS DESTE TEXTO, SINTO-ME MAIS QUE A VONTADE!
ESTOU EMBRIAGADA, BAILANDOOO EM SUAS PALAVRAS QUE FOTOGRAFA A AURA DOS FALÓPIOS DESTE UNIVERSO FEMININO.
PARABÉNSSS PELO BLOG!
ROSAS COLOMBIANAS E GIRASSÓIS PRA VC!

Notícias Mentirosas disse...

é o segundo "nossa" de hoje. E o primeiro, acredite, foi lendo um blogue de outra flor de falópio, a gabriele.
Achei genial isso. PArabéns.

Caroline disse...

"O dia depois da foda é foda"!
Disse tudo, ou nas palavras de Paulo Leminsk:

Tudo dito,
nada feito
fito e deito

ave!

alan disse...

karlinha
to ficando chato de tanto repetir que te acho massa...
mas o q fazer ao ler isso...
isso é lindo .. sensivel.. verdadeiro... bom demais.
beijão
alan
concordo que tem um pouco de surrealismo de breton.

Marcelo Ferrari disse...

Caracas!!!! 23 comentários!!! Por acaso vcs prometem fazer strep tease no blog quando anunciam? Hehehehe... Parabéns pelo espaço, está falopiamente elegante.

sucesso
pintão