terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Não durmo com Gildas, por Samantha Abreu

.
Fiquei por tantos anos vivendo histórias das minhas divas no cinema, que passei a desconfiar que meus homens também dormiam com Gilda.
A neurose do ciúme acabou com todos os meus relacionamentos. Foram oito casamentos ao todo. Todos destruídos por brigas, discussões e ciúme. Fui até acusada de levar pra cama – eu mesma – outras mulheres. Não posso negar que em minhas fantasias mais neuróticas isso, de fato, acontecia.
Tempo perdido.
.
Hoje, prefiro viver ao som de As time goes bye e dormir, todos os dias, ao lado de Humphrey Bogart.
.
Minha vida acontece no escuro, sem lanterninhas.
.
.

9 comentários:

Gabriele Fidalgo disse...

E eu acho que essa é deveria ser outra personagem de cinema.

Adoro essas mulheres 'impulsivas' que você descreve. Adoro seus textos.


Beijos

anjobaldio disse...

Muito lindo.

KIMDAMAGNA disse...

"As time goes bye" na versão do Briam Ferry, oiço, quandoemvez.

Do escuro nasce a luz, aprendi depois...
Da discussão afinal não nasce nada...só morre...
a única lanterninha,que resta, só você...controlo absoluto.
Abraço na Kianda

Paulo D'Auria disse...

Oi Sá,

Belo texto! Criou um roteirinho aqui, hein? Essa personagem daria outro filme.

Beijos

Paulo Castro disse...

Baby...não resisti e vim hoje mesmo.
Quanta ironia gostosa em poucas palavras.
Ironia sacana putinha noir.
Ironia gozinho gostosinho salinha de cinema.
Ironia Falcão Maltês.
E o que um leitor como eu pode mais pedir ?
- Ei, amigão ( fumaça de cigarro ), toque aquela pra nós...
Beijos, Bandida.
Detona San Pablo.
°

José Calvino disse...

O seu texto me fez rejuvenescer, menina! Na sala de cinema, sem a moça da lanterninha, no escurinho... olhe, me senti um ator de cinema e teatro (rsrsr).
Muito bom, mesmo!
Beijão do,
Calvino
Recife

Lais Mouriê disse...

Cinema....ai, como amo! E juro que assiste seu conto! De arrasar!

Bjos

Adriano Carôso disse...

Fantástico. "Minha vida acontece no escuro sem lanterninha" é do caralho! Parabéns!

Jota disse...

É uma vida fora de foco, ou com "sunburns" gigantescos, de tela inteira.

Coisa de cinema, Samantha.