sábado, 29 de dezembro de 2007

por Martha Galrão

Sil Falqueto

Debrucei na janela
no peitoril
na sacada
Dependurei
meu corpo
no patamar
- mais da metade pra fora -

Veio o corpo de bombeiro
mas você não veio.

Martha Galrão

10 comentários:

Alisson disse...

Isso é quase um suicídio...


nem que seja por engano!

José Calvino disse...

Poetamiga Martha,
Por que você discou o 192,
e não para o seu amor?
Em vez de corpo de bombeiro,
... amor de corpo inteiro!!!,rsrs
Abração do tamanho da Bahia,
José Calvino
Recife

KIMDAMAGNA disse...

...bebo...para MIM...
como prenda, só por ter sido
um dia bonito... depois de ter visto sua metade de fora.
Fiquei feliz por ver também sua outra metade protegida...
no patamar, que é sitío de passagem...

Xaxuaxo

Paulo D'Auria disse...

Delicioso, Martha!

"A banda passou, meu amor não chamou"

Beijos

disse...

Que fofo, Martha, inspirador pra fechar a noite.

josé guilherme fidelis disse...

porra! fazia tempo q não lia um poema. à procura de poesia, leio na internet muitas palavras em ordem, composição de métrica, desencadear de idéias... mas poema mesmo, acho q acabo de ler um! parabéns. gostei muito mesmo! se puder, entra no meu blog pra dar uma conferida:

http://artificcional.blogspot.com/


Paz e amor pra todos nós em 2008!

Gerlane disse...

Ou, amiga! Quanta coisa a gente é capaz de fazer pra chamar a atenção de quem a gente tanto quer, né?!

Um 2008 repleto de realizações pra ti e, todos os teus!

Beijos!

Jota disse...

ô desespero lindo!

nunca pensei que iria dizer uma coisa dessas, mas foi o que me primeiro ocorreu, quando li!

poesia é bom demais...

Adriano Caroso disse...

Parabéns Martha. Suas palavras são de um sentimento e de uma beleza plástica incrível. Sou muito fão de todas as meninas do Falópio!

Borboletas Embriagadas disse...

Muiiito interessante a brincadeira que fez com as palavras em sua poesia. Interessante também falar de algo visivelmente dolorido, de maneira tão "impessoal".

Adorável!

Beijoca*