sábado, 5 de janeiro de 2008

Eu gosto mesmo é de usar vestidos
e saias.
As palavras me fascinam,
por isso brinco com o fogo
das palavras.

Daquela tarde eu lembro
que mordi sem querer
minha boca
e das mãos em brasa.

Nossas mãos,
em silêncio,
criando segredos
e intimidade.

Martha Galrão

10 comentários:

José Calvino disse...

Você é fogo, Marthinha!
Gostei do seu brincar com o fogo das palavras. Você é uma "brasa mora" como diria Roberto Carlos.
Beijos do,
Calvino
Recife

Paulo D'Auria disse...

Que bonito isso, "Nossas mãos em silêncio criando segredos e intimidade".
Traz de volta à memória tantas coisas. Poucos momentos em um relacionamento são tão cheios de intimidade quanto este.
Ah, "Foi por medo de avião que eu segurei pela primeira vez na sua mão"

Beijos

Jota disse...

De todos os fogos, o fogo de esvoaçar na delícia de saborear a veemência dos sentidos.

Nunca usei saias, mas acho que deve ser legal.

Adriano Caroso disse...

Quem brinca com o fogo pode se queimar, mas às vezes a queimadura é maravilhosa. É o caso desses versos. Lindo!

Tânia França disse...

A feminilidade à toda prova: 'eu gosto mesmo é de usar vestidos e saias... e brincar com o fogo das palavras'!
Você é fogo, menina! Lindo texto, sempre!

MARIAESCREVINHADORA disse...

"Nossas mãos/ em silêncio/criando segredos/e intimidade." Lindo, Martinha.
O poema transpira paixão do primeiro ao último verso. Obrigada por me transportar às relíquias de um passado feliz.
Beijos,

Conceição

KimdaMagna disse...

...em brasa...
...mãos...
...segredos...

Trilogia da intimidade!

Eta! Po eta!!!
Xaxuaxo

Lunna Montez'zinny disse...

As mãos criam, definem, deliram. Sempre as mãos. Belo poema.

Gabriele Fidalgo disse...

Mãos que 'apalpam' o fogo, e que espalham o calor pelo corpo.


Muito bonito, Martha.

beijos

SAMANTHA ABREU disse...

talvez seja o jeito feminino de amar, né, martinha?!
a boca, os dentes... as mãos.
Deixa tudo lindo, francamente cheio de cores femininas.

e você mostra isso como ninguém.
Um beijO!