sábado, 26 de janeiro de 2008

Por Martha Galrão

ao passo que anoitece
eleva a minha dor
Silêncio
a dor meço
a dor me sendo lenta
adio o mais que posso
o tresloucado gesto.

7 comentários:

MARIAESCREVINHADORA disse...

Às vezes a noite é má companheira, Martha. Porém, bendita seja por inspirar seus lindos versos, poeta.
Beijos,

Conceição

Aline ツ disse...

tuas palavras são do único gesto pelo qual temos pressa, Martha.

José Calvino disse...

Na minha opinião, poeticamente falando, a noite é jovem e poética, Martha. Enfim,a noite é bela!
Beijos do,
Calvino

Paulo D'Auria disse...

Será que a noite é a inspiradora ou a confissionária dos versos mais tristes?

PS: "a dor meço"
Genial, Martha!

Beijos

KimdaMagna disse...

Não acredito!

A Noite sim,
lenta de dor,
roídinha de inveja,
de ver sua arte.

Xaxuaxo na Muadi

Fabricio Fortes disse...

simples e ao mesmo tempo, tocante.. gostei..

Clóvis Campêlo disse...

Felizes são os poetas que fazem das tensões da vida, um jogo de palavras, poesia e cartarse.
O tresloucado gesto já foi transmutado.