domingo, 10 de fevereiro de 2008

Doente, por Juliana Hollanda


(olhares.com)

tudo é lindo nessa manhã febril
lembro dos poemas ocultos na sua voz

minha tosse já fraca é reflexo do nervosismo
e as placas dos carros me indicam você

não consigo esquecer as imagens que foram pintadas em minha mente
e aproveito a manhã para ser livre
aproveito a manhã para sentir o amor que você trouxe de volta

os muros altos dos prédios são belos
os detalhes perceptíveis

meu coração canta sensações experimentais
meu coração gargalha coisas em comum

tudo é lindo nessa manhã febril
por causa de você.

4 comentários:

José Calvino disse...

Querida Ju,
Essa sua tela mental... fez-me
olhares.com rsrsrs
Que linda manhã! Xô doença!!!
Beijos do,
José Calvino
Recife

Salve Jorge disse...

Dizes isto
Por estar à mercê
Toda a beleza jaz nos olhos
Que já estão em você
Quisera ser bem quisto
Nesta febriel doença
Que a faz propensa
A despir o que visto
É a beleza do imprevisto
Dessa estrada imensa
Arda, minha cara
Que tamanha gargalhada
Além de muito esperada
É coisa rara

Three Love's disse...

Que delícia, só depois vi no seu perfil que vc é "apaixonada, apixonada, apaixonada"; só mesmo muito apaixonada para escrever um poema tão doce, tão visual... é muito bom reler várias vezes um poema e depois simplesmente e maravilhado não conseguir descrevê-lo.
Beijos,

Fabricio Fortes disse...

muito bonito.