sábado, 2 de fevereiro de 2008

Por Martha Galrão



















Foi no carnaval que minha mãe conheceu meu pai. No clube
Fantoches, ela vestida de havaiana. Anos depois, fingindo
não ver a beleza dos dois, ela rasgou ao meio as fotos do
casamento. Restou uma foto inteira, uma filha, um filho e
uma neta para contar esta história de amor.

3 comentários:

Paulo D'Auria disse...

Linda foto, Martha!

Ainda bem que salvaram pelo menos essa, mas às vezes esses rituais catárticos, rasgar, quebrar, gritar, são a melhor coisa pra tocar a bola pra frente!

Beijos

MARIAESCREVINHADORA disse...

Os laços e as fotos podem ser rasgadas, cortadas, atiradas no lixo. Não se pode fazer o mesmo com as lembranças. Essas duram para sempre.
Beijos,

Conceição.

José Calvino disse...

Querida Marthinha,

Rever as fotos antigas é relembrar,
é trazer à memória... E isto vcs fizeram, parece que foi ontem!Hoje
vocês contam, que maravilha!
Beijos do,

Calvino
Recife