terça-feira, 11 de março de 2008

Antônimas, por Samantha Abreu

foto de Lara Jade
.
.
.....Perto dela me sinto parte da mobília em um canto qualquer, inutilizada.
.....Tudo que temos de gêmeas por fora, temos de estranhas por dentro. O jeito como ela anda me irrita e me deixa nervosa a forma independente como ela encara a vida. Livre, dona, senhora.
.....Enquanto ela entra e sai pela porta, estou sentada aqui, observando. Pés firmes, pisando apressados. Mãos carregadas de vida escapando entre os dedos. O ar em torno dela é quente por conta da febre que possui.
.....E eu: gelada, parada, cansada.
.....Dizem que tudo que eu teria de bom ficou para ela, porque foi arrancada primeiro.
.....Repudio tudo o que ela representa e tudo o que ela me ausenta. Desde crianças: roupas iguais, para almas tão diferentes. Ela é a vida em festa, enquanto eu sou a morte à espreita.
.....A morte escondida na cristaleira empoeirada.
.
.

5 comentários:

Salve Jorge disse...

O pequeno pardal pousou na cristaleira
Teve o cuidado de recolher as asas
Enquanto aproximava-se da beira
Viu toda a poeira
E aquele morte pretensamente escondida
Com os olhos em brasa
Invejosa da vida

Bom dia disse o pardal
Bom dia por que? - retrucou a morte
Que julgando ter pouca sorte
Ainda tinha de aguentar o gralhar da ave
Ora,bom dia porque és a morte
E isso é fenomenal
Acrescentou o pardal
Parecendo ter a chave
Para os problemas dela
Fenomenal nada - insistiu ela
Eu sou apenas a sequela
Ela é a artista principal

Não seja boba
Insistiu o pássaro
Que parecia atiçá-la por esporte
Há os que preferem dançar com a morte
Não os que fazem no pulso um corte
Mas uns que esquecidos do norte
Preferem vestir pele de loba
E buscar caminho mais raro

Há? - interessou-se a morte
Saindo do esconderijo
Já não mais tão invejosa da vida
Vislumbrando a possibilidade de uma saída
Pensando num beijo
Sentindo-se mais forte
Afinal ela era a morte
E ser ela tinha algo de muito bonito...

Paulo D'Auria disse...

"Dizem que tudo que eu teria de bom ficou para ela, porque foi arrancada primeiro."

Psicológico, direto, cortante.

Adoro essa Samantha!!!!

Beijos

osátiro disse...

Um pouco negativista, não?

Fabricio Fortes disse...

(...) ou da estranheza das coisas idênticas..
(desculpe a intervenção.. não pide me conter).. ótimo texto, samantha! poético e descritivo.

Marcelo Mendonça disse...

que sentimento deliciosamente horrível o seu. ADORO.