sábado, 22 de março de 2008

A Chuva de Maria, por Martha Galrão

.
.
Tudo por fazer é água
que Maria acolhe e carrega
no cesto.
Chove Maria
chora o leite derramado
lambe as letras
sorve o leite
pranteia seus amados,
Maria.
.
.
Martha Galrão

5 comentários:

José Calvino disse...

Belíssimos versos, Marthinha!
Introdutórios que proporcionam imediatamente a "chuva das letras",
na qual a imaginação segue no mesmo ritmo interpretativo...Maria.
Parabéns, poetamiga!
Beijos do,
Calvino

MARIAESCREVINHADORA disse...

É muito lindo esse teu poema, Martha.
Feliz Páscoa para ti, Bia, Haroldo, papai, e quem mais vier.
Beijos,

Conceição

Salve Jorge disse...

Porque aqui, Maria
É chuva pra todo lado
Rios caudalosos transbordam
Ante as chuvas
Que carregam todos os amantes
Para o mar
Ah, mar
Ao mar então
Que chover rio abaixo
É condição...

Adriano Caroso disse...

Essa minha conterrânea é realmente sábia com as palavras! Bela Chuva!

Paulo D'Auria disse...

Lindo!

Lambendo letras, Martha/Maria segue derramando seu poético leite sobre seus leitores!

Beijos!