terça-feira, 18 de março de 2008

De Cabeça, por Samantha Abreu


Quando dei por mim,
já estava
ca
i
i
i
i
ndo
de mala e cuia,
com você,
nesse ralo

buraco

fossa

fenda
cova
vala

pia
ai
.

.

15 comentários:

Rafael Avansini disse...

Afunilamento angustiante de um sentimento que percorre a gente até a queda inevitável. Ótimo, como sempre.
Bjos

Salve Jorge disse...

Cai cai balão
Cai cai balão
Cai aqui na minha mão
Que com um remendo
Teu fogo
Te tira do chão...

Grazzi em ContRo disse...

aiii..escorriii..

Lady Crisálida disse...

Cair, Cair, Cair...dentro desse fusível de palavras que nos deixa simplesmente...Estupefactas!!!

beijos como rodopio de um furacão, moça das belas letras.

Grazielle disse...

Ai... doeu só de ler... rsrsrs
Sah,
mais um espetáculo... lindíssimo esse seu poder de dominar as palavras!

xero

José Calvino disse...

me permita:

fossa/fenda
cova
vala

vala/cova
fenda
fossa

cova
vala
fossa/fenda

fossa
fenda
fenda/fossa

podes / como vai?
Gostei, Sah!
Beijos do,
Calvino

Aline disse...

doeu, mas foi bom.

onde você aprendeu a manipular as palavras e as idéias desse jeito.
me leva nesse lugar!?!

:)

Dolfo disse...

Tua poesia é muito boa moça!

Uma descida que sobe!

bjos!

disse...

E você já espatifou no chão? Ou a queda livre continua? Às vezes é melhor que nunca acabe.

Marcelo Mendonça disse...

excitei

Gabriele Fidalgo disse...

Caí junto enquanto lia.

Lindo, Samantha!

Sérgio Luyz Rocha disse...

Diz aí se não vale a pena??
...
Bjs!!

Paulo D'Auria disse...

Bravo, Sá!

Experimentou e acertou!

Beijos

KimdaMagna disse...

FLOR / CACTO

CACTO / FLOR
http://kimdamagna.blogspot.com/2008/03/cacto-flor.html

XAXUAXO na KIanda

Ana disse...

Belo,
Concreto,
Dose certa!
Beijo!