sábado, 15 de março de 2008

Escrevo nomes
como quem passa batom
e pinta de vermelho
a boca

talvez porque sofra
desse destino
de me balançar
em rede tão fina.

Escolho pernas
cruzo e descruzo palavras
prolongo sílabas e olhares

E porque quero dançar
procuro poesia
no céu da sua boca.

As palavras
doidas pra tecer mistérios...
Confundo lábios e letras.

Martha Galrão

6 comentários:

José Calvino disse...

Marthinha - que beleza!
Menina - passou batom e pintou a boca.
Mulher - cruza e descruza palavras.
Professora - ensinou a dançar e amar.
Poeta - criando poesias, confundindo lábios e letras. E o poema surgiu com o mistério mais admirável. Gostei, poetamiga!
Parabéns.
Beijos do,
Calvino

Seu Hélio disse...

Cara equipe vermelha escarlate do Versos de Falópio, só passo para dizer que foram homenageadas em meu blog.

Obrigado.

http://www.auquemia.blogspot.com

MARIAESCREVINHADORA disse...

"E porque quero dançar/procuro poesia/no céu da sua boca".
Destaquei esses versos, somente para te dizer que o poema é lindo, Marthinha.
Beijos,

Conceição

Padre Alfredo disse...

Linda demais!
Parabéns

Salve Jorge disse...

Pois a sua dança
Que nos convida
A pintar o sete
Certo desvario

E nesse balanço
As pernas tropeçam sintaxes
A vontade
Vira vítima dos olhares

E a tal da poesia
Salafraria cortesã
De quem a convida

Enfrenta a distância
Compõem a dança
No palco do céu dos lábios...

SAMANTHA ABREU disse...

tão íntimo me parece...
que chego a ver meu retrato nas entrelinhas.

Um beijo, Martinha.