sexta-feira, 14 de março de 2008

Petiscos Petit Bourgeois, por Syssy Virtuale

.
Do desapego mutante duma geração retrógrada e individualista, fundamentada nas fraudes pós-modernas, o barroco é implícito unicamente no quesito latino coração/ansiedade.
Formamos uma geração criada e alimentada na cultura pop-noveleira da boa década de 80. Nossas terapias existenciais são sussuradas a respiros entre bocas de dois grandes amigos e intensos amantes mal-amados.
-Benvinda ao lar, diz ele; Mentirinha mais deliciosa. Nas tardes livres agrupam-se os solitários, maturadas por entorpecentes sumos chilenos e italianos, entre outros pormenores regionais, e a conversa incendeia em torno da auto-sustentabilidade do caos atual, todos sentados em confortáveis sofás de chinchilas vivas a nos roer os sonhos e os ronronantes siameses nos rondando enquanto comparados a minks. O vácuo estampado nos olhos dos presentes apresenta o vigésimo-quarto frame em intolerância subliminar, como na campanha da happiness factory da década baby-boom americana. A novidade virtual não é mais novidade, é o chip já implantado -virtualmente- .
Todos assimilam este conjunto, sorriem, e mais uma taça é servida.O limbo é vago e ligeiramente saboroso.
.
.

3 comentários:

SAMANTHA ABREU disse...

Eu diria ácido e intensamente saboroso.
Não o limbo, mas tuas palavras que, ao invés da amargura da situação vexatória, nos coloca o lirismo assim... escancarado.

E a viagem, como sempre, é absoluta, Poupéezinha.
Um beijO!

Calebitto disse...

Céus! Que erudição mais deliciosa!

Ler suas palavras tonalizadas pelo cotidiano tão habitual a todos nós, me encheu o peito de contentamento.

Parabéns! Nem vou dizer muito porque corro o risco de pecar com minhas diminutas palavras.

Fabiano Merli disse...

"Mentirinha mais deliciosa!!!!"
Ainda que algumas machuquem, a maioria delas é deliciosa. Como não aproveitar?
Lindo, lírico e leso.
Beijos,