terça-feira, 6 de maio de 2008

Do que Não Houve, por Samantha Abreu

foto de Lara Jade
.
.....Porque, de repente, deu-se conta de que era saudade. Mas foi surpreendida ao descobrir, com isso, que saudade não existia apenas para o passado, mas também para o anseio de futuro.
.....E soube que essa dor, talvez, fosse a pior. Saudade de momentos ainda não-seus.
.....Rezou à Peruda, o garoto guerreiro tupi que dominava o reino daquela loucura.
.....- Mas como é que se quer de novo uma coisa que ainda não teve? Perguntaram, ela o pequeno viajante do vento, tentando enganar aquela serpente que a convencia ao pecado do desespero.
.....A serpente, esperta e sagaz, explicou que o amor era a tal maçã do poder, e que era possível, sim, que ela sentisse tal febre por apenas cobiçar, afinal, o coração feminino era cheio de razões obscuras. Então, encheu seus olhos com imagens vivas da tal vida plena, e ela se viu senhora-protagonista daquela história ainda não escrita. Sentiu, mais uma vez, a pontada da falta, do espaço exato, no vácuo, para o encaixe das tais quatro palavras: A-M-O-R.
.....Entregou-se.
.....Amor e serpentes não são boas companhias quando juntos. Nem menino guerreiro pode vencê-los.
.
.

9 comentários:

Salve Jorge disse...

Mergulha no espelho
Vomita saudade
É tudo velho
Mais do mesmo
Corroído pela idade
Cansado de ir a esmo...

Esquece..
Vive essa saudade
Como uma prece
A maior verdade
Use-a como remo
Pra navegar o rio do Hades...

Agora faça uma engolir o rabo da outra
Porque nada é invencível...

Ricardo N disse...

A saudade não reconhece seu lugar...

Grazielle disse...

Dificil mesmo vencê-los... mais facil entregar-se e encarar as consequencias!

:* 'dorei

Paulo Bono disse...

muitas vezes me bate essa saudade.

abraço, samantha

enten katsudatsu disse...

o final é bem legal do seu escrito.

a serpente mordeu o coração e o sangue esquichou pleonasmos na noite. Risos.


Cássio Amaral.

Fabricio Fortes disse...

mais um texto refinadíssimo de samantha abreu!
muito bonito.

Sérgio Luyz Rocha disse...

...ótima reflexão...amor e serpentes juntos, ninguém a vencê-los...todos submissos...
Sobra-lhe juízo e inquietação, Samantha...
Lindo!!!!

PS:preciso do seu e-mail - escreva pra mim aqui que anexo na resposta o texto que lhe falei: sergioluyzrocha@gmail.com

F. Reoli disse...

Belo texto... e embora não existindo vencedores, mantenhamo-nos no bom combate! :)
Beijos

Paulo D'Auria disse...

"afinal, o coração feminino era cheio de razões obscuras."
Essa passagem casa perfeitamente no contexto bíblico, maçã, serpente, etc., me levou aos velhos teólogos que viam a mulher como uma tentação, um instrumento impuro do demônio.
Belo texto, muitíssimo bem construído.

Beijos,