quinta-feira, 29 de maio de 2008

Infinito, por Lais Mouriê


Tínhamos desejos coincidentes

entregas coincidentes

histórias coincidentes.


Tínhamos conflitos coincidentes

sentimentos coincidentes

silêncios coincidentes.


Tínhamos tolices coincidentes

gostos coincidentes

caminhos coincidentes


por retas paralelas.



5 comentários:

jupyhollanda disse...

é simplesmente TUDO esse poema!!!!

Bjos, Lá

F. Reoli disse...

Dizem que até mesmo as retas se cruzam num ponto(x) futuro... belo poema. Beijos.

Salve Jorge disse...

Seqüelas perpendiculares
Remediam (aos olhares)
Coincidências paralelas

José Calvino disse...

Por coincidência transcrevo a última estrofe do poema:
"Maria Fumaça"
(...)


Sonhando pelos trilhos desse trem,
no Museu do Trem,
Maria Fumaça na solidão,
espera pelo trem que não vem.

Gostei, poetamiga!
Beijos do,
José Calvino

Sergio Gangsta Paradise by COOLIO z/sul leste oeste norte sudoeste como pao com manteiga disse...

minaaaa se é a nerds mais boba que eu já vi na vida...hahahahah arruma um namorado no semiplano superior onde o conjunto dos x e y que y é > q 0
ueahuehauoehauoea MONGAAAAAAAA