sexta-feira, 30 de maio de 2008

Se se aceitasse

Vivaldi - Winter - Alegro




Se minha existência significa[s]se essa morte:
Se cúmplice marmorizou-se o consenso:
Com-sentimento:
Se na minha dor,
se pelas fugas por entre as cortinas,
se sutura com espinhos,
se olho(o)s,
se boca,
se pão,
se dói-
Se peço,
Se peco.
Se em conjuntura
se juntasse:
Não- [sê] muda!

Se então.. Teço.
E peço:
Si-lê('n)-cio.
Silencio.

Se por uma vida,
se no Sagrado,
se em minha existência.
Se minha existência,
se significa.
Se angustía?
Se empedernido:
Se assim, não
se ressignifica.

Se em prece,
se fossem ouvidos:
Se essa luz,
se essa luz se desvanecesse!
Se em mim, meu imperfeito.
Se em mim,
se minha luz:
Se
se a-(s)sumisse.

Se fossem ouvidos, eu seria
Luz.

4 comentários:

F. Reoli disse...

Seja sempre. Mesmo (se) não for.
Beijos

KimdaMagna disse...

Se)sensacional... se

se bem perto, longe
de mim se...
É sempre uma surpresa,
para mim , seus ditos.

Xaxuaxo

José Calvino disse...

"...Se essa, luz..."
É de se iluminar, luz, a embalar os seus versos. Luz que jamais se apagará... tu és LUZ.
Beijos iluminados,
Calvino
Recife

Anônimo disse...

muito belo - completa-o a música de Vivaldi. Ah, os "se" do ser-se! Abrem portais infinitos de poesia e beleza.
Dalva Agne Lynch
www.dalvalynch.net