sábado, 7 de junho de 2008

Excursão para Antares, por Martha Galrão

Stonehenge - Inglaterra













Eu vim à vida a passeio.
Como não sei onde fica o norte nem o leste, me sentei do lado do Sol e não pude o melhor da viagem: ver a vida da janela. Abriu-se a portinhola de dentro e percorri labirintos
de mim.
Quem não tem pedra, caça com satélite.
Estamos dentro de um bicho chamado galáxia. A galáxia está caminhando e a Lua lentamente se afastando da Terra.
Para ser telúrica: Estrela é como gente, era azul, está amarela e vai morrer daqui a quatro milhões de anos. O Sol vai engolir a Terra.Ver as Estrelas do céu transborda a nossa emoção.Os decibéis dentro do ônibus chegam ao limite da dor. Mas são alegria.
Um menino em silêncio conta os cavalos na estrada.
Passa vaca,
passa boi,
passa enxada.
Passam mulher e homem,
caminhão,
borracharia,
casas solitárias.
Passam folhas de bananeira
e varal de cores variadas.
A poesia faz morada na boca das crianças:
quando escuto essa música sinto alívio no coração, diz Alexandre,
e Warney anuncia: o Sol é o mundo pegando fogo.
.
.

2 comentários:

MARIAESCREVINHADORA disse...

Visitar você e sua alma poética faz um bem danado.
Lindo, Marthinha.
Beijos,

Conceição

KimdaMagna disse...

Muadié!!!
texto alargado, viagem ficcional mais longa.
Agradavelmente surpreendido.

Xaxuaxo