quinta-feira, 12 de junho de 2008

à Flor, por Lais Mouriê


Estou arrancando a flor da pele.

Apagando a pele da flor que

desassossegou minha luz .


Estou tirando meu vermelho

meu sangue, minha tatuagem

e minha roupa quase branca.


Estou sem a flor da pele

a cor nos olhos

a boca na sua mão.


Estou à flor da pele,

embora a flor da pele

gradativamente apaga-se!

3 comentários:

Thiago Quintella disse...

O jogo com a crase, nessa expressão, foi muito rica!! Gostei do poema!!

Salve Jorge disse...

Flor
Pele
For
Pela
Fora
Pesa
Força
Presa
Forca
Prega
Aflora
Rega
Carrega
Nega
Desapega
Demora
Por hora
Por dia
Por tempo...

Fabricio Fortes disse...

que coisa bonita!