sábado, 9 de agosto de 2008

.
Neste sofrido encontro
confronto comigo
umbigo doído
doida
nau frágil em alto mar.


Entre a nau e o caos: tormenta
desde o abismo: sentimentos
esperança: farol de milha.

Martha Galrão





4 comentários:

Salve Jorge disse...

Daqui do porto
Com meu jeito torto
Fico absorto
Pela tempestade no horizonte
Ali de fronte
Em alto mar
Tanta tormenta
E navios
A naufragar
No mar bravio
Que se enfrenta
Sempre que se tenta
Aportar...

Clóvis Campêlo disse...

Se a chegada é o fim, pra que chegar?

Clóvis Campêlo disse...

Alimentemos a tempestade, mantendo a ilusão da bonança.

Yara disse...

um sofrimento que é "nau frágil em alto mar"

lindo.