domingo, 28 de setembro de 2008

Cinema faz cada uma, por Juliana Hollanda

Quando o ser criança ultrapassa a vontade de crescer e o crescer é sublimado pela necessidade de permanecer pequena.
Quando a vontade toma conta da sua mente, pés e ar e o medo não representa nada mais que um estímulo.
Quando a coragem é o vôo mais alto que suas asas já fizeram e ser livre é tudo o que você sempre desejou.
Quando brincar entre minas terrestres com armas de graveto te faz terrorista, mas você está apenas brincando como forma de matar o tempo e contemplar o ócio.
Quando tudo o que se quer na vida é tão grande e tão pequeno ao mesmo tempo...

É numa dessas horas em que você acorda para a realidade e percebe que existe, mas existindo é tão formiga que para alguém te esmagar é somente um passo em falso.