segunda-feira, 15 de setembro de 2008

PARA VOCÊ SER EU, por Karla Jacobina



Para você ser eu, antes de qualquer coisa, pegue uma caneta bic azul, mas azul e não preta, porque nunca gostei de letras escuras. Caso não tenha papel, escreva minha linha da vida na mão, meu nome e as dicas que vou te dar.
Em primeiro lugar, para você ser eu, nasça grávida do verão e dê a luz em seu primeiro choro.
Para você ser eu, em segundo lugar, chorando, ouça da sua avó a frase consoladora mais motivadora que existe: "turururu, tudo é seu, aturururu, tudo é seu". Diante do Tudo passado pro seu nome, viva uma infância confusa, tentando entender que já que tudo é seu, quem é seu dono?
Em terceiro lugar, para você ser eu, aprenda a ler o abecê e o tarô de Marselha no mesmo ano.
Para você ser eu, em quarto lugar, inicie sua vida poética escrevendo cartas de amor para os namorados de suas amigas tímidas.
Em quinto lugar, para você ser eu, tente, re-tente, vire de cabeça pra baixo, faça promessa para Pitágoras e não consiga ver sentido algum nos logaritmos.
Para você ser eu, em sexto lugar, tenha sua primeira depressão aos doze, a segunda aos dezesseis e descubra aos vinte que você é bipolar porque além do sol em sagitário, é mulher e adolescente ao mesmo tempo.
Em sétimo lugar, para você ser eu, esbarre no amor da sua vida num dia em que não faz primavera, mas que te traz lindas camélias.
Para você ser eu, em oitavo lugar, curse uma faculdade que faça você preferir mil vezes ver sentido em logaritmos do que em leis.
Em nono lugar, para você ser eu, descubra que enquanto seu diploma apodrece na gaveta, suas pernas continuam sendo sua melhor formação.
Para você ser eu, em décimo lugar, não consiga entender a relação que há entre homens, cabos e pilhas, muito menos a relação que há entre homens e qualquer outra coisa do universo.
Para você ser eu, em décimo primeiro lugar, ache elegante vestir saias longas com havaianas coloridas.
Em décimo segundo lugar, para você ser eu, abandone os pensamentos retilíneos uniformes da maioria.
Para você ser eu, em décimo terceiro lugar, diga a sua mãe que ela não fez nada errado porque não existe certo, mas que se caso existisse ela estaria na sua lista negra.
Em décimo quarto lugar, para você ser eu, puxe a barba do papai Noel e acredite piamente que todos homens são diferentes.
Para você ser eu em décimo quinto lugar, descubra que as pedras nos sapatos são e-mails minerais que você envia para você mesmo enquanto está distraído.
Em décimo sexto lugar, para você ser eu, encontre fadas na areia e procure ondas no mar.
Para você ser eu, em décimo sétimo lugar, fuja do norte, das placas e das intimações de mesário.
Em décimo oitavo lugar, para você ser eu, corra atrás da vida igual a criança atrás do balão.
Para você ser eu, em décimo nono lugar, sinta muito, sinta além, sinta muito além da conta, pois os números sempre são exatos demais.
Em vigésimo lugar, para você ser eu, seja júpiter, demasiada e trezentos e dezoito vezes superior.
Para você ser eu, em vigésimo primeiro lugar, sinta o cheiro que o cheiro tem, mesmo com nariz entupido.
Em vigésimo segundo lugar, para você ser eu, caia de pára-quedas em São Paulo e depois perceba que acaso e destino não são antônimos.
Para você ser eu, em vigésimo terceiro lugar, deixe as raízes quadradas da vida para os filósofos enquanto planta flores no acostamento.
Em vigésimo quarto lugar, para você ser eu, jamais abandone seu prazer sobre boa vontade fálica nenhuma.
Para você ser eu, em vigésimo quinto lugar, seja vadia demais para os cafajestes e Amélia demais para os machistas.
Em vigésimo sexto lugar, para você ser eu, ache bonito falar “paetê e patuá” e fale sempre que tiver a oportunidade.
Para você ser eu, em vigésimo sétimo lugar, seja triz, alecrim e ponto.
Em vigésimo oitavo lugar, para você ser eu, goste de enumerar as coisas e fazer listas, para não se perder dessa vez.
Em último lugar, para você ser eu, faça exatamente como eu, não me seja.

7 comentários:

Conde Vlad Drakuléa disse...

Baixei, saravá! Odó-Iyá! Mas essas filhas de Iemanja são mesmo muito perspicazes e escrevem que é uma beleza! Eu sou mais da linha de exú, um Zé Pilintra com Ogum-Megê talvez, portanto adoro mulheres inteligentes e perspicazes! Um brinde à ti linda filha de Iemanjá, aliás todas aqui são lindas, e como escrevem!!! Continue assim que seu Zé e o conde agradecem! Beijos minha querida sereia com pernas, Subi!

Gabriele Fidalgo disse...

Caraca, Karla!
Achei sensacional!!

Beijão :)

Kimangola disse...

...para você ser eu, faça exatamente como eu, não me seja...

uma verdadeira e profunda ordem aos inadaptados, "ámen people" que se acomodam na repetição dos outros.

mais uma aula de microsociologia: professorou: Dra Bicho do Mato

xaxuaxo

Rubem - terapia disse...

OLá meninas.
Fiquei "conhecendo vocês" através de uma mensagem deixada no blog da Dani, que por sua vez deixou um comentário no blog da Márcia. Tá parecendo poema do Drummond.
Meu blog tem espaço para poesia.
Quem se habilita?
Rubem.(belo horizonte)
www.terapiadecutuvelo.blogspot.com
Beijos pra todas.

Versos Insensatos disse...

Tudo que você escreve tem um brilho e uma audácia incrível, sou quase um tiéte seu, me lembro que a primeira vez que vi seus versos e li seu perfil fiquei encantado, e era Karla Jacobina, pra lá, Jacobina Karla pra cá, parabéns...
"...Sinestésica ao cubo, exgerada ao quadrado e um zero à esquerda em Tributário..."

Thiago A.

Robson disse...

Hummm... já fui desqualificado no primeiro item...Sou totalmente "Gris".
Bj

Lais Mouriê disse...

Maravilhoso, Karlota!!!!