quinta-feira, 2 de outubro de 2008

As nuvens de Mariana, por Lais Mouriê


Ele deixou de usar a velha blusa carmim.

Pintou seu peito de azul

e se fez passarinho.

Azuis se tornaram as nuvens brancas da Vila Mariana.

E choveu sangue.

3 comentários:

Salve Jorge disse...

É que Mariana conta um
Bebe rum
E destila sangue
Até fazer mangue
Numa quinta insana
Viva Mariana...

cláudia i. vetter disse...

ai ai, apenas suspiros podem embalar o hálito destas palavras...

muito bom!


;)

joao de miranda m. disse...

Fabulosamente contido. Muito bom. Escreve-se bem por aqui...