domingo, 19 de outubro de 2008

Circulo Vicioso, por Juliana Hollanda



Temos o potencial para nos apaixonar quinhentas milhões de vezes durante a vida. É fácil.
O primeiro garoto por quem me apaixonei foi alguém que conheci na sexta série. O nome dele era Pedro. Nós conversávamos sobre cavalos.
O último garoto por quem eu vou me apaixonar será alguém que eu ainda não conheci, provavelmente.
Todas as paixões valem, mas existem algumas pessoas por quem você se apaixona que fazem alguma coisa a mais. Essas pessoas definem a forma como você deve classificar o jeito como se sente. Essas são as paixões mais importantes da sua vida e você vai se deparar com provavelmente quatro ou cinco num intervalo de 80 anos. Terá sempre uma pessoa por quem você se apaixona que é todas elas.
Essa paixão é correspondida, mas isso só acontece eventualmente. Essa é a pessoa que, sem saber, te dá todos os requisitos de como você vai amar outras pessoas mesmo que essas "amáveis" características sejam autodestrutivas e irracionais; essa é a pessoa que vai definir sua maneira de entender o amor e se o seu amor não é diferente do jeito de amar do outro. Essa é a pessoa com quem você vai esbarrar quando você quiser mesmo amar alguém e essa pessoa ainda assim vai ganhar.
Os caras ganham e você perde, porque , para o resto da sua vida essa pessoa vai controlar a sua forma de amar.

5 comentários:

JOCENDIR CAMARGO disse...

Eu sou eterno apaixonado... me apaixono todo dia por alguém, as vezes alguém que conheço, otras vezes por alguém que leio ou escuto, algumas vezes por mulheres, outrs vezes por homens, mas sempre por seres humanos... não importa quantas vezes, mas sio porque... porque são belas, inteligentes, amorosas, cativas, não importa, importa sim que são sempre pessoas a nos surpreender...

uma boa semana...

JOCENDIR CAMARGO disse...

Eu sou eterno apaixonado... me apaixono todo dia por alguém, as vezes alguém que conheço, otras vezes por alguém que leio ou escuto, algumas vezes por mulheres, outrs vezes por homens, mas sempre por seres humanos... não importa quantas vezes, mas sio porque... porque são belas, inteligentes, amorosas, cativas, não importa, importa sim que são sempre pessoas a nos surpreender...

uma boa semana...

*** Cris *** disse...

Olá, td bem?
Sou uma eterna apaixonada, dá um espirro eu já estou eu apaixonada pelo forma como vc espirrou....rs.
Interessante a forma como vc abordou isso no seu texto, adorei!
Um abraço e boa semana!

Luciana disse...

Incrível, quando somos adolescentes os amores são "primeiros, únicos e eternos." Somos muito insanos, mas com pouca densidade.

Quando crescemos nos doamos desmedidamente, às vezes num leve desespero, amor que nos arremata.

Mas ainda assim, adolescentes ou "gente grande", involuntariamente queremos encontrar um amor, ainda que seja apenas "eterno."
.................

Olá, adorei o blog!
Posso lincá-las no meu?

Beijos

jupyhollanda disse...

Jocendir, Cris e Luciana,

Sim, somos eternos apaixonados (incluo-me nesta afirmação). A paixão acontece quando chega a surpresa e aí o brilho nos olhos se instala. Obrigada pelos comentários neste post que não é poema, poesia e dgo, acho que nem prosa. Surgiu inesperadamente de uma lembrança com o link de uma vivência. Feliz que vcs gostaram.

Luciana, claro que pode linkar o falópio.

Bjos

Ju