quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Grito cravado, por Lais Mouriê

venha morar comigo enquanto ainda há água em minha sede. enquanto há poesia em minha dança e desejo em meu sexo.
venha amar comigo enquanto comemoro minha insensatez. enquanto respiro minha irracionalidade e te improviso em meu colchão.
venha e não vá para fora de mim. enquanto te nutro com meu sangue, enquanto me lambuzo com sua carne e te eternizo num grito cravado em minhas unhas. eternas.

7 comentários:

::::::::::::::::::::::::::FER::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: disse...

profundo!!!

Cosmunicando disse...

demais seu texto!

gabriel ilário Lopes disse...

muitas idéias pro dia-a-dia da gente...grito cravado em minhas unhas... muito bom

gabriel ilário Lopes disse...

muitas idéias pro dia-a-dia da gente...grito cravado em minhas unhas... muito bom

Salve Jorge disse...

Como ir?
Se só sei dormir
Na tua morada
Se só sei amar
Tua alvorada
Não sei sair
Da tua estrada
È preciso teu grito cravado
Eterno
E mais nada...

Erica Marie disse...

Tá lindo,eroticamente lindo!

Felipe Rangel Prado disse...

Quer casar comigo