sábado, 15 de novembro de 2008

meu algoz sou eu
mesma
com a luz acesa
flagrando os mínimos
detalhes sórdidos

carcereira de mim
caçadora
das máximas culpas cotidianas

(o padre mandou eu rezar
não sei quantas ave-marias e
mais uns pai-nossos
tudo isso por eu ser malcriada
às vezes
e brigar com meu irmão

única vez, é claro,
na primeira comunhão
qualé mané
confissão! )

mas resguardo uma carrasca
me virando pelo avesso
dentro do coração.


Martha Galrão

2 comentários:

KimdaMagna disse...

O Coração: como um músculo tão pequenino , pode tomar forma de Universo.

Xaxuaxo

Duuh!. disse...

Perfeeito.

^^


beeijo