sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Sine Qua Non, por Syssy Virtuale

Deep Devotion of Veronika; 1994 > J. Saudek

Fantasio o meu fugitivo dedicando-me uma rosa.
Ao abrir os olhos, percebo o rastro de silêncio, gritante.
O meu so turno não consegue Sol-dar-se.
Prefere minguar em velo.
Que entrou em mim com toda a sua raiva mortal,
e só o que pude lhe dizer foi:

Amor.

3 comentários:

Beatrice Jasmin Noire disse...

Sol-dar-se ao (l)aço
do teu verso.
Difícil é soltar-se.

Three Love´s disse...

maravilhoso ou simplesmente pleno quando a única palavra, ou a melhor palavra, que nos resta é... amor!

b.e.i.j.o.s.

Maria Muadiê disse...

Que lindo. Imagem e texto muito bonitos, Sissy.
bjo