quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

A da letra H, por Lais Mouriê

Há muito vermelho em minha pele branca. E muita claridade em meu sangue negro. Há muito mais no não dito do meu silêncio do que na voz aguda das minhas palavras. Há, perceptivelmente, um quê de incompletude em minhas obras completas. Há, ainda que não haja, certezas em todas as minhas incompreensões. Há dejetos que esperam nunca serem absorvidos e desejos que procuram sua boca. O que não há, sempre, é sentimento que não ressoe dentro de mim.

Um comentário:

Anônimo disse...

Ich meine, dass Sie nicht recht sind. Geben Sie wir werden besprechen. Schreiben Sie mir in PM, wir werden reden. viagra generika viagra ohne rezept [url=http//t7-isis.org]levitra ohne rezept[/url]