sábado, 10 de janeiro de 2009


Dedina, levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima!


Ontem, na novela A favorita, Dedina morreu de morte matada e eu fiquei incomodada. A personagem sofreu um apedrejamento que a levou à morte. Foi agredida fisicamente em praça pública, com testemunhas assistindo a agressão passivamente, e não procurou a delegacia de mulheres. Foi expulsa de sua casa e abriu mão de todos os seus pertences.
O que mais me intriga é a sua autopunição. Ela era professora, e mesmo tendo profissão e emprego, abandonou o trabalho e foi viver nas ruas, sem nada para comer.
Dedina era tão miserável, que não tinha família nem amigos. Nasceu de chocadeira.
Mas por que, minhas deusas, ela mereceu destino tão cruel?
Porque essa mulher ousou ter muito tesão por Damião, era esse seu conflito: o desejo por um homem que não era seu marido. A última cena não deixou dúvidas, Dedina assumiu toda a culpa que lhe coube e pediu perdão aos valorosos machões por estragar tão bela amizade. Afinal, ela e a sua sensualidade foram as culpadas de tudo. Ao final, a morte para completar o flagelo.
O velho e ferrenho controle de sempre. Donde concluimos que Dedina é uma personagem exemplar, senhoras.
O que me inquieta é que esse mesmo pensamento, que não podemos administrar a nossa própria sexualidade, é o mesmo que explica o assassinato diário de várias mulheres no Brasil. "Se não for minha, não será de mais ninguém", morte para as mulheres, muitas vezes ainda garotas, que querem terminar o relacionamento.

Pois é, Dedina, sai desse modelo, menina!
Arranja um advogado para recuperar suas coisas, volta ao trabalho e dá a volta por cima! (Se quiser indicação, tenho uma amiga advogada que é ótima!)

Martha

5 comentários:

MARIAESCREVINHADORA disse...

Vai à luta, Dedina!
Ainda bem que deixei de assistir novela da Globo. Se tivesse assistido, nem teria conseguido dormir de tanta raiva.
Gostei demais de seu texto, Marthinha. É, as mulheres precisam se unir, acabar com essa vitimização, que lhes é incutida desde o berço. Por que os homens podem se apaixonar quantas vezes quiserem e nós temos que suportar o desamor até o fim de nossos dias, senão morreremos?

Bj

Conceição

José Calvino disse...

Eu e Maura concordamos com a opinião de Conceição.
Beijos,

Maura & Calvino
Recife

Anônimo disse...

É isso mesmo Martinha.

A cena do espancamento em praça pública é no mínimo intrigante.... e a tão festejada adesão da emissora às campanhas sociais... indicador de sua responsabilidade social? não seria a violência contra a mulher, objeto de uma dessas campanhas? foi no mínimo intrigante e constrangedor.

E outra, nem a boa ação de Dedina, ajudando o maravilhoso Damião a recuperar a ereção foi levada em conta. Não foi a mulherzinha doméstica e dedicada que o fez superar o trauma... Foi Dedina.

Uma saudação ao desejo!

beijo,

Jumara.

KimdaMagna disse...

... o " direito" de soberania e de posse de um outro ser ainda está tão primário e cavernoso...
... a cabala falava de uma mulher escarlate ( Lilith) que se rebelou, mas tem muita Eva que continua submissa... e são a maioria...

xaxuaxo

Lais Mouriê disse...

ADOREI!!!!!