domingo, 8 de fevereiro de 2009

sobre cantadas baratas e amores verdadeiros (I), por Juliana Hollanda


Tanto desejo exalo pelas salas nesta tarde que se faz possível encontrar em outros corpos vontade de estar comigo.
Nunca imaginei que partisse de alguém assim que nunca me cumprimentou essa loucura toda e no gmail ele digita que gostaria de surfar da minha nuca ao cóccix?

Claro que ele não chegou a mim com essas palavras e foi mais direto, mais sem-vergonha, aliás, completamente desavergonhado e achando que de alguma maneira o meu XX iria cruzar com tal XY ou vice-versa e coisa e tal.

Ele fez a proposta acreditando que por ser homem com agá maiúsculo e 22cm (sim isso ele também me falou) e eu mulher carente eu iria deixar ele encostar em mim em algum quarto de motel barato das redondezas.

Sim, para "eles", todas as mulheres estão carentes até prova ao contrário eu iria deixar que ele deslizasse no escorrega do meu corpo para depois tomar todo o sorvete do mundo!

[RISADAS]

É, fez bem para o ego, mas só. E ele foi tão direto falando que nada a ver ele ter namorada e perguntando se eu nunca tinha ouvido a palavra sem compromisso que o bem que foi feito para o ego no mesmo momento se transformou em asco e em um só pensamento clichê: “homens são todos iguais. Uns safados! Será que o meu namorado é assim também?” e aí tudo virou medo um apavoramento mesmo e eu fiquei paralisada e o corpo inteiro tremeu e o pensamento sempre na minha cabeça e o: “não. Ele me ama!” junto com o “deixa de ser boba!” e o “nosso sexo é mesmo genial! O melhor do mundo!!!” e "é, realmente sou uma tola e meu namorado é o mais incrível do mundo" e “gatinho te amo! sinto saudades.”

e o choro deslizando pelo rosto...“logo logo estaremos juntos, meu amor.”

Nada pode ser melhor do que eu e você,
nem o sorvete de chocolate mais cremoso.

Nenhum comentário: