sexta-feira, 6 de março de 2009

Ramo Torto, por Syssy Virtuale

.
Mas se flor não é espírito e nem é morta, só torta,
e quem vive a flor é ela,
e ela sempre foi a ela e foi tudo é lá e ainda ´qui agora,
e-lá-sombra e finca.
E a namorada é sempre outra;
Agora, é outra:
Que a namorada nem pra ficar.

Ficaria se em vida ela já e ainda: Assombração?
Se seu entraçalho de estranhas são de tantas,
Se sua flor é ela, se é dela-
Amarga, ri d´ela.
Se doente nunca foi de uma e sim de ramos,
e todas são sintomas.

E agora ela, a namorada, parte dela:
Porque nunca viu a tal margarida.
Porque é ela a ela e não a outra.

aParto, aMargarida.

Asas-sina:

Água Viva.

Um comentário:

Samantha Abreu disse...

não era à toa minha Água-na-boca de ler você, Poupette.
Amarga ri de mim.

BeijOS!