domingo, 17 de maio de 2009

Sobre [o que pode ser] realidade ou um abraço apertado (I), por Juliana Hollanda


Da SÉRIE: esta é uma carta de amor verídica
ou
sobre a impossibilidade do amor
Querida Amiga,

Preciso conversar.

A cada dia que passa tenho mais necessidade de conversar para entender porquês e também para me entender e sentir o que pode ser essa explosão de sentimentos que a cada dia que passa solta mais fogos de artifício no meu coração.

O despertar do amor é perigosíssimo, mas é tão lindo também... e quero entender a beleza dos olhares doces e dos apertos de mão, para me sentir menina outra vez e também para participar do crescimento de um outro que pode estar renascendo.

As pessoas se preocupam comigo, com a minha fragilidade e sei que você também se preocupa. Quero apenas te dizer que ele também se preocupa e é muito mais adulto que eu e, por isso, quando temos oportunidade de conversar - isso vira uma necessidade e dessa necessidade - surge a obrigação - e essa obrigação se faz presente - sempre!

Por isso escrevo para te tranquilizar, pois sei que você também se preocupa e por ser um assunto assim tão delicado - sinto-me no dever de te dar explicações e - peço ajuda - pois é tudo delicado demais e muita gente pode se machucar e não devia, né?!

Te confesso que essa história ( por mais que eu não possa vivê-la plenamente) é a história mais linda que já apareceu na minha frente.

É como um presente, uma flor arrancada de um jardim, o cheiro do melhor perfume e a vodka mais suave. É bonito sentir meu coração bater forte e sentir as batidas do dele num apertar de mãos. É muito doce e simples isso tudo por mais que se faça complicado diante de todas as implicações, barreiras, obstáculos e impossibilidades.

Confio em você.

Te amo!!!

B_Ju

Nenhum comentário: