segunda-feira, 8 de junho de 2009

CORRE COTIA, por Karla Jacobina


A correria corre
mas não me alcança

Não que eu seja Massa
e ela pança

Mas porque
sou dança
e ela andança

A correria
é um índio verde
atrás
da própria lança

Corre cotia
avança!

A correria corre
c o r r e c o r r e
mas não alcança
gente mansa

4 comentários:

jupyhollanda disse...

muito dinâmico esse poema, Karlinha.

B-Ju

Maria Muadiê disse...

muito legal.
ainda não atingi esse nível de mansidão.
bjo

Maria Muadiê disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Karla Jacobina disse...

Marthinha querida

Vou te contar um segredo: meus pés são patinhas de coelho, consigo correr mais rápido que a rapidez. Rs.

Esse poemaé um desejo. Morro de inveja de tartaruga.

Beijão pra vc.