domingo, 4 de outubro de 2009

Entre Elas: Pedro Lago

APENAS

Porque todos querem amar,
seja agora, amanhã ou
num dia simples como este
em que chove tanto,

e submergimos pouco abaixo
da superfície e, lá em cima,
fica claro o que se quer.

Vontade de sempre estar ali,
mesmo na necessidade
de tornar a respirar,
e tudo voltar a ser azul,
infinito,
assim,
sem sorrir muito,
pois não se idealizam cores,
tampouco texturas,
somente formas fracas
em grafite
clarinho,
sem marcar muito,

e esperar sem esperar,
que, em qualquer dia
mais claro, componha-se
o que se pensa agora,
assim,
sem saber o quê.



Pedro Lago tem 28 anos, é poeta, ator, canceriano convicto e não vê problema em dizer aquilo que sente. Aliás, acha isso a grande questão da vida. O ser lírico essencial.
Fã de Ana Cristina Cesar, dentre todos os poetas que formam a chamada "base de sustentação". Depois que a leu, compreendeu qual caminho seguir dentro da linguagem poética.

2 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

sim, acho que talvez quem sabe seja mais ou menos um pouco assim de leve isso mesmo com certeza.

mas escreve com grafite clarinho, pra poder apagar depois, talvez, não necessariamente.


=D
marcos

Eduardo Piereck disse...

Sentimentos autênticos são a marca registrada dos que almejam alavancar sua consciência. Tal qual o pássaro em pleno vôo, tome nota de tua garantia e direito, estrelando por tal área demarcada em teu próprio coração. Convido-o a conhecer www.sentidosplenos.blogspot.com