sábado, 24 de outubro de 2009

Fruto escondido, por Patrícia Lage

.
No desistir da tristeza, os três tipos de liberdade. Entre a morte pequena e a maior. Entre a verdade inevitável que paira sobre a ponte e o crepúsculo. Pendente. E tudo aquilo que não se consegue entender: a infância remanescente. Árvores ocas para um eu efetivo. Se couber, os sonhos.

Um comentário:

Sunflower disse...

Se tiver bordas, as do infinito.


Beeeeeeeeeeeeijas!