terça-feira, 27 de outubro de 2009

Possessão, por Samantha Abreu


Em cada contorno um perigo. Curvas são assim: nunca se sabe o que vem depois da virada. Por isso, prefiro eu mesma dirigir. Sei bem das minhas ribanceiras. Desço despenhadeiro abaixo e quando chego à cintura minha mão já não é mais minha. Amor tem dessas coisas. O poeta disse uma vez: “transforma-se o amador na coisa amada, por virtude de muito imaginar”. Eu concordo com ele. Senão essa, que outra explicação para esses dedos serem os seus a essa altura do ventre?
Eu apenas fecho os olhos. E o resto é só possessão.
.

4 comentários:

Erica Maria disse...

Sabe que este texto se encaixa perfeitamente no meu momento?

Adorei Samantha!

Bjos e te admiro muito*

Marcos Satoru Kawanami disse...

boa alusão a Camões.

Sunflower disse...

vinte pai nossos, 10 ave marias, 3 salve rainha e 1 credo da parte do seu vigário e infinitas beijas minhas.

Marcos Satoru Kawanami disse...

ah, a Miss Ceará é católica...

o mundo ainda tem salvação!


=D
marcos