sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Reflexo, do reflexo, do reflexo por Janaina Lisboa

Verdade seja dita, uma língua muiestranha vezenquando falava pra dentro, ela. E o que falava pra fora, nossa, até pior era.

Ao queimar a mão no bule que fervia a água do café, ao invés de praguejar, suspirava duas vezes, como no dever certo de cumprir penitência. E quando atendeu o telefone, quis corrigir o pai que havia a chamado pelo nome doutra filha, mas nem. Daí quando o moço que amava muito lhe entregou seu coração ela queria dizer amém, mas, sem querer ela deu um beijo do sabor de afasta de mim esse cálice.

Sentava à janela, mãoqueimada, nometrocado, peitopartido, bocamarga e só se preocupava em ler a vida que parecia tão simples passando do lado de fora, sem a ciência de saber que era tudo reflexo do didentro, pra ela, bem ali, lá no difora todas as pessoas parecem paisagens. Pensava que o reflexo da janela contava o erumavez de incostâncias constantes , dos muitos sorrisos de silêncio gritante, correções não feitas, afetos afetados, gargalhadas para não chorar, e as explosões desjustificadas de raiva, tudo rezado numa linguagem que ela precisaria aprender oceanografia para entender.

5 comentários:

jupyhollanda disse...

Ai Jana... que texto delicado, não que vc não seja, mas é que pouco a pouco, vais aprendendo a fazer "poesia".

B-Ju

Fábio disse...

A culpa tem gosto amargo, mas autopenitência (É junto ou separado? nunca sei. Me ajuda) não combina com você.
Prefiro a marra.

Beijos no lado esquerdo para ficar mais contente.

Marcos Satoru Kawanami disse...

acho que cagar e andar um pouquinho não faz mal, o negócio é não implicar muito com perfeição pra não pirar, mora?

pax et bonum
marcos

Samantha Abreu disse...

nossa. texto belo, babe,
de uma sensibilidade única.

Ai lóve iú, Jana!

Glória Lopes disse...

putz!, vim navegando distraidamente e nem vi direito que corrente me fez parar aqui. Mas encalhei no seu "reflexo" e me apaixonei pelo texto! e aí vem a pergunta inocente: há algum mal em replicá-lo no meu (ainda insípido) blog? citando autoria e fonte, é claro.

dá uma olhada, qualquer coisa é só falar e eu retiro: http://ventar.wordpress.com/2009/10/14/reflexo_janaina

inté + (vou voltar sempre :D)