sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Bem-vindos ao meu momento Gaydalf, por Janaina Lisboa

[Abre a cortina]

[Entra o enredo e a alegoria]

Internet, você pode não perceber por esses caracteres que eu utilizo para me comunicar com você, mas, uma das minhas multifacetas é a de ser a Harajuku Girl do Gay bem sucedido.

Por quê? Bom, segundo o despeito e falso testemunho da oposição, eu sou uma Drag Queen que nasceu com uma vagina, mas, apenas para “causar”.

Essa oposição breguerrezérrima e invejosíssima – com quem, honestamente, não sei o porquê gasto meu tempo, paciência, beleza, paz e SAÚDE saindo – aguarda ansiosamente enquanto estou falando com um beau na náite pelo momento em que me retiro para ir ao banheiro, para lançar a seguinte pérola:

- Cara, sai fora que esse bicho é veado.

Internet, Jana é dona de uma feminilidade afetada, de uma voz grave e, vezenquando, ri jogando a cabeça para trás com uma mão na cintura e outra no peito, a La Finado Clodovil (que Deus o tenha), por conseguinte, tal alegação não é grave, é gravíssima. Se o cidadão resolve ouvir a calunia, Janinha pode apanhar em uma manifestação de preconceito e ódio ao sublime antes mesmo que ela possa indicar a ausência do pomo de Adão. E Janoca, Internet, não é masoquista.

[Cenário construído]

[Fecha a cortina]

[Abre a cortina]

Jana tem um amigo que toda vez que ele coloca um paletó preto e gravata devastadores, a chama para cena. E Janjan que é filha de Deus e discípula de Brigitte Bardot diz “sim” com todo o ar de seus pulmões. Porque se é para ser mulher-objeto, que eu seja o perfeito acessório para um homem homossexual cheio de graça, estilo, bom gosto e alegria. E tudo que ele me convida para ir, é diversão garantida e gratuita.

A ocasião era a inauguração de um bar-restaurante-boite onde teria a degustação de vinhos que de tão caros, chegavam a ser obscenos. Meu amigo estava sentado na mesa, e eu resolvi olhar o lugar e sentar no balcão do bar e provar vária delicias. Lá, chega um cara atraente, e ele me vem com essa:

- Você não que ir beber algo em outro lugar?

Eu sei que deveria ter dito em um tom garbo e repressor algo como:

- Olha, lisonjeada mas, eu estou aqui com um amigo.

Porém, a única coisa que me veio à mente foi:

- O QUÊ?!? VOCÊ QUER IR BEBER EM OUTRO LUGAR? Você não gosta de deliciosos vinhos de graça?

Outra coisa que eu sei é que se o cara chegou chegando foi porque eu estava olhando fixamente na direção dele, brincando com o meu cabelo, cruzando e descruzando freneticamente as pernas. Sério agora, é que ele estava parado no caminho do banheiro e eu estava enfrentando o meu maior dilema da minha vida no momento:

Se eu deveria largar o copo e ir ao banheiro, ou não.
E, também, estava ainda assimilando como é que foi que o Gandalf retornou dos mortos, que o Saruman era terrível, mas eu já devia ter suspeitado disso porque ele se vestia melhor que o perrapado mago cinza. Internet, o mau sempre se veste melhor. Refletindo essas máximas, tudo regado a vinho, pois esse foi o filme que tinha visto no cinema com a galera da oposição mais cedo.

Opto por me levantar e ir até o banheiro, porque na verdade, aquilo se tornou tão urgente que até vinho de graça pareceu trivial. Para o meu desespero, o cara bloqueia minha passagem no estilo “YOU SHALL NOT PASS!” Gandalf, O sem estilo Cinza versus Saruman, o Te Mato na Unha de Chique.

Minha solução simples, rápida infalível e urgente? Olho para ele e falo:

- Cara, sai fora que eu sou veado.

O cara fica mudo e bege.

[Fecha a cortina, rápido!]

2 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

then Joe Jackass replies:

- nice, dude! my female portion is homossexual too.

"nobody does it better then you"


kiss on the ass
with kind regards
and Irish Cream
Marcos

ai, enjoe - doce demais!

- te cerra, hombre! qué pasa?
- ella me hace fresco... hay que endurece, pero sin perder la ternura jamás.
- te hace fresco?
- fresco... pero no mucho!


ESTE COMENTÁRIO É UM OFERECIMENTO DOS TECIDOS SANTISTA


=D
Marcos

Lela disse...

Suspeitei desde o principio!