domingo, 22 de novembro de 2009

Entre Elas: Márcio-André

.
aqui do estômago desta baleia
a cidade é um cardume cintilante
e
a estátua de drummond tem as costas ao oceano –
[as estátuas são para os homens não para o mar]
cultivar um peixe por dentro
para um dia comê-lo
esperando uma mulher surgir da precisão da ossada
um dia somos felizes em nosso jardim cetáceo
e ela caminha suavemente ao meu lado
sonhando o domingo mais triste do mundo no subúrbio do lado de lá
um dia estamos na meia idade e bebemos porque não há opção
e o guindaste no cais estará esmagado como um inseto morto
diante das mil falhas na goela das águas
o mar está na foto dos homens não no sonho das estátuas.


Márcio-André é poeta, ensaísta, performer e editor da Revista Confraria, autor dos livros Intradoxos e Ensaios Radioativos e articulista do caderno Penar, do Jornal O Estado de Minas. Recebeu a bolsa Fundação Biblioteca Nacional em 2008 e foi poeta residente em Monsanto, Portugal, em 2009. Apresentou espetáculos de poesia sonora e experimental na França, Portugal, Argentina, Reino Unido e Ucrânia. Em junho de 2007, realizou a Conferência Poético-Radioativa de Pripyat, performance literária na cidade fantasma de Chernobyl.
.

Um comentário:

Karla disse...

Um Márcio-André diferente, mas muito bom.