terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Sal nos Olhos, por Samantha Abreu

foto de eugenio recuenco
.
A chuva lá fora,
mas molhado está aqui,
inundando a casa que é vida
e os olhos que ardem
nessa água de mar.

.
Desaguar salga feridas.

Desaguar...
Uma única palavra,
pra tantos litros de mágoas.

3 comentários:

José Calvino disse...

Sal nos Olhos, o difícil direito de compreender, meio impossível na poesia. Mas Samantha sonha e consegue o caminho sob tal ângulo:
"Desaguar salga feridas.
Desaguar...
Uma única palavra,
pra tantos litros de mágoas."
Lava as feridas e alivia nossas mágoas. É a arte da poesia que se encontra nos Versos de Falópio.

Salve Jorge disse...

Navega
Às águas te entrega
Caudalosa
Que por mais que a ferida
Seja dolorosa
São coisas da vida
E ela tanto rega
Quanto afoga...

Loh' disse...

'pra tantos litros de magoas...'

incrivel como me despiu nessas pequenas, porém intensas, frases... É sempre um prazer poder voltar aqui.