domingo, 28 de fevereiro de 2010

Entre Elas: Fabiano Cisticerco

Indo embora

Vou embora.
Deixo para trás um povo medíocre, a inveja, a fofoca, a mentira, a raiva, a burrice e a ignorância.
Deixo para trás a luta cansativa e em vão. Uma luta eterna e repetitiva, como a águia que devora o fígado de Prometeu todos os dias.
Deixo para trás os sonhos perdidos, não realizados, não alcançados, a frustração e a decepção.
Deixo para trás a traição, o amor doentio, as brigas absurdas e sem sentido, as competições ridículas e insanas.
Deixo para trás os seres estúpidos, com suas mentes pobres, ridículas e limitadas. Atrofiadas pela visão míope, monocromática, distorcida e fechada.
Deixo para trás o sorriso falso, o abraço sem carinho, as conversas pelas costas, a amizade hipócrita e interesseira.
Deixo para trás os erros que nunca consegui consertar, as desculpas que nunca consegui dar, as palavras que nunca consegui expressar, o perdão que nunca vou receber.
Deixo para trás amores que deveria ter cuidado melhor, que deveria ter vivido mais, a quem deveria ter sido mais leal, mais maduro, mais amável, mais paciente e que talvez nunca devesse ter deixado partir.
Deixo para trás a tristeza, tanto a que causei como a que senti. As lágrimas que provoquei e as que raramente deixei descer pelo meu rosto, como as que descem agora...
Deixo para trás uma etapa, uma história, uma vida.
Deixo para trás amigos. Poucos que posso contar numa palma de mão. Mas que fizeram à diferença e estiveram presentes quando não se imaginava que pudessem estar.
Deixo para trás as noites em claro, as preocupações irracionais, as dúvidas e as perguntas não respondidas.
Deixo tudo para trás.
Não quero levar nada.
Contento-me com o pouco que me resta, com um pouco de paz e o que mais couber numa pequena mala.
Só quero a chance de fazer tudo direito, de corrigir meus passos e não estragar tudo de novo.
Por isso deixo tudo para trás.
Por isso eu vou embora. Para nunca mais voltar.

Fabiano Cisticerco, 35 anos, não sabe muito bem quem é, para onde vai e como chegar lá. Só sabe para onde não quer ir. Escreve em todo lugar que o deixarem escrever. Participa do E-blogue, Beco do Crime, Cabeças Cortadas e no dele mesmo. Gosta de literatura, Psicologia e Artes. Pintor nas horas vagas, escritor de madrugada.
.

4 comentários:

Raquel disse...

quero conseguir ir embora assim,começar do zero...
lindo texto,parabéns

Camilinha disse...

Na teoria, que beleza...
Na prática,...


beijos daqui...

Sunflower disse...

Estou sempre de malas prontas, mas...

Sunflower disse...

Estou sempre de malas prontas, mas...