segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

p/ tavinho paes e juju hollanda, por Beatriz Provasi


solidão não é salto do parapeito
nem é estilete
não é desespero

a solidão é calma,
silenciosa,
discreta,
não deixa marcas

a solidão pode ser apenas
uma porta aberta
por onde ninguém passa

* Ganhei este poema da amiga Beatriz. 
*Para saber mais sobre ela clique aqui.

2 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

"Solidão é lava
Que cobre tudo
Amargura em minha boca
Sorri seus dentes de chumbo
Solidão palavra
Cavada no coração
Resignado e mudo
No compasso da desilusão

Desilusão, desilusão
Danço eu dança você
Na dança da solidão

Camélia ficou viúva, Joana se apaixonou
Maria tentou a morte, por causa do seu amor
Meu pai sempre me dizia, meu filho tome cuidado
Quando eu penso no futuro, não esqueço o meu passado

Desilusão, desilusão
Danço eu dança você
Na dança da solidão

Quando vem a madrugada, meu pensamento vagueia
Corro os dedos na viola, contemplando a lua cheia
Apesar de tudo existe, uma fonte de água pura
Quem beber daquela água não terá mais amargura"

(Dança da Solidão - Paulinho da Viola)


;***
Marcos

Luz' disse...

lindaa a musicaa!marcos gosto na voz de Marisa Monte!


__________

perfeita definição!