terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Pequenos Silêncios, por Samantha Abreu

.
Tudo mal explicado, médio-resolvido.
Ele pára na porta e permanece ali, me olhando. Eu disfarço, dou uma piscadinha acompanhada de um sorriso, e continuamos assim.
Segundos que parecem horas. Mais sorrisos de canto.
- O que foi? – ele me pergunta.
Eu emudeço: porra, você é lindo, seu olho de mar é lindo, seu abraço é um dos melhores do mundo, seu perfume é o meu preferido e morro de vontade de ficar enroscando meus dedos em seu cabelo pra sempre.
- Nada não, respondo.
.

2 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

uma moça me ofereceu sorvete, ao que eu lhe disse por educação: não, obrigado.

mas ela não entendeu, e meio que emputecida disse: pô, além de dá, ainda qué que arreganha?

Thiago Zebende disse...

Gostei do blog... vou vir mais vezes... abraços!