segunda-feira, 1 de março de 2010

despedida em tempos de SMS, por Juliana Hollanda


[...]

-Cabalmente genial!  
 
Uma cantada,
Um bilhete,
Um poema.

Um descontrole,
Uma viagem,
Um surto,
Um susto assustado...

A chave de casa,
Um nada,
Uma carta,
Uma ilusão.

O esconderijo,
A paisagem,
O vento...

Uma frase,
Um poema torto,
Todo amor morto,
Todo fardo, todo vício,
O salto, o precipício...

Hospício despreparado para psicóticos terminais,
Narcóticos traficados para inexperientes corações...

Carinhos transpirados em poros de algodão
Ilusões que sobem pelas veias...

[Injeções letais]

Anestesias gerais!

O amor que morreu
Nessa chuva
O amor que ficou pra depois
O amor...

que faltou em nós dois.

2 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

muito legal, inclusive dentro da contravenção.

Sunflower disse...

lindo e muito visual, Ju.