quarta-feira, 17 de março de 2010

por Clara Arôxa

Esquece o meu nome. Esquece minhas falhas, o que você pensa sobre mim. Esquece o endereço da minha casa, minha cor favorita, meu apelido. Finge que eu fui um sonho, pesadelo, resfriado, qualquer coisa. Me combate, acaba com a minha raça. Não se ilude comigo, não espera nada de mim, para de me tratar como se você soubesse o que se passa na minha cabeça.

Só conserva meus sonhos.

Nenhum comentário: