quarta-feira, 31 de março de 2010

Hoje, Kundera

" Nossa vida quotidiana é bombardeada de acasos, mais exatamente encontros fortuitos entre as pessoas e os acontecimentos - aquilo que chamamos de coincidências. Existe co-incidência quando dois acontecimentos inesperados acontecem ao mesmo tempo, quando eles se encontram: Tomas aparece no restaurante no momento em que o rádio toca Beethoven. Na sua imensa maioria, essas coincidências passam completamente despercebidas. Se o açougueiro da esquina tivesse vindo sentar à mesa do restaurante em vez de Tomas, Tereza não teria notado que o rádio tocava Beethoven. ( Se bem que o encontro de Beethoven com um açougueiro seja também curiosa coincidência.) Mas o amor nascente aguçou nela a percepção da beleza, e ela jamais esquecerá essa música. Toda vez que a ouvir, tudo o que acontecer em torno dela, nesse momento, ficará impregnado com seu brilho. "

A insustentável leveza do ser - Milan Kundera



Brilha. Muito.

5 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Hoje, quem dera...

o Vasco vencer o Asa de Arapiraca.


mas se numa obra famosa como essa o cara teve uma idéia assim, eu não sou tão imbecil quanto papai supunha.

meu pai me chamava de CRETINO...

... quando eu nem sabia o isso significava.


=D
Marcos

Marguerita disse...

Adorei ler "A insustentável leveza do ser."

E lembro de ter lido e relido esta parte.

Bjo

oquemeinferniza disse...

rsss Brilha muito... Kundera brilha muito mesmo

Fleur Anonyme disse...

Agora veja, moça, e compreenda porque Kundera abençoa minha alma insustentavelmente leve.

Sérgio Luyz Rocha disse...

Às vezes penso o quanto seria insuportável apreender/perceber/sentir todos estes momentos que nos vão construindo a estória na qual vivemos; simples, não deixaríamos que ela se construísse e assim, não viveríamos nenhum destes momentos (daí a insustentabilidade).

Leio e releio Kundera; acho-o magistral.